Trabalhadores afastados vão ter chance de reabilitação profissional

Paulo Skaf e Leonardo Gadelha firmam acordo que oferecerá 500 bolsas de estudo

 

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, disse nesta quinta-feira (5 de outubro) que a parceria assinada entre as duas entidades da indústria e o INSS para reabilitação profissional é uma “belíssima causa”. O acordo – que prevê o oferecimento até dezembro de até 500 bolsas de estudo integrais em cursos de qualificação profissional em diversas áreas tecnológicas pelo Senai-SP – foi assinado na mesma data no prédio da Fiesp por Skaf e pelo presidente do INSS, Leonardo Gadelha. “É o início de uma nova história” para o trabalhador que participar dos cursos, disse Skaf.

Leonardo Gadelha disse que a parceria terá impacto profundo. Por limitações materiais, explicou, é muito baixo o número de reabilitados anualmente. “Queremos dar ao trabalhador bem-intencionado as condições para voltar ao mercado de trabalho. É uma parceria em que todos ganham.” Os trabalhadores voltam a ter uma profissão, as empresas ganham mão de obra e deixam de ter o custo provocado pelo afastamento, e o governo deixa de ter a despesa previdenciária.

Sylvio de Barros, diretor do Departamento de Ação Regional da Fiesp, lembrou que além disso a pessoa reabilitada volta a contribuir para o INSS. “É um convênio permanente”, disse, que vai ser voltado inicialmente aos industriários. São 98 cursos de capacitação profissional, explicou, ministrados nas escolas do Senai-SP às pessoas indicadas pelo INSS. “Não é um convênio que vamos fazer. Já estamos fazendo.”

Skaf na assinatura da parceria entre INSS, Fiesp e Senai-SP (Foto: Ayrton Vignola/Fiesp)

 

No evento também foi lançada a Cartilha de Educação Previdenciária, iniciativa do INSS, Fiesp e Sesi-SP, para ser distribuída livremente.

O objetivo da parceria é otimizar o processo de reabilitação profissional dos segurados incapacitados para o trabalho e afastados pelo INSS, promovendo redução do tempo de afastamento do segurado, com vistas ao seu retorno e permanência na vida profissional. O INSS indica segurados maiores de 18 anos, com ensino fundamental completo, com apresentação de autodeclaração de baixa renda e vindos de empresas contribuintes do Sesi e do Senai. Após a participação no programa, o INSS certifica o segurado, que poderá ser empregado na cota de pessoas com deficiência e terá também certificação do Senai-SP.

 

 

Agência Indusnet Fiesp

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Conteúdo Relacionado

Esse post tem 1 comentário

Deixe seu comentário

Existe um outro caminho para São Paulo.

Conheça as ideias de Skaf para São Paulo. Compartilhe. Participe. São Paulo precisa de todos nós. #ExisteUmOutroCaminho. #SkafGovernador